A insônia é considerada um distúrbio que dificulta a pessoa pegar no sono ou manter o sono durante a noite. Diante da rotina e do estilo de vida atual, a insônia tem se tornado cada vez mais comum, acredita-se que 1 a cada 5 pessoas sofram com esse mal.

Existem algumas classificações gerais que podem definir os tipos do distúrbio relacionado com o tempo de duração e também referente às causas.

Tipos

Quando relacionado ao tempo de duração existem 3 tipos classificatórios: transiente, de curta duração de no máximo 3 semanas; crônica, com longa duração acima de 3 semanas; ou intermitente, ocorre em curta duração, mas com frequência durante um longo período intercalado com sonos regulares.

Causas

Já as causas podem ser de origem primária ou secundária. Na primária ela acontece por si só e não está relacionado a uma doença. A secundária tem alguma relação com condições médicas, distúrbio mental ou efeito colateral de medicamentos ou drogas.

Identificar a causa da insônia deve ser o primeiro estágio para resolver o problema, e verificar se há a necessidade de intervenção médica ou não. Muitas vezes a insônia pode estar relacionada ao estresse, situações desconfortantes e exaustivas na vida causam curtos períodos de insônia. Pessoas que têm em sua rotina de trabalho ou estilo de vida viagens frequentes e horários desregulados também podem ter o distúrbio intensificado.

O ambiente também pode interferir na qualidade do seu sono, lugares muito claros ou barulhentos, colchões desconfortáveis e até mesmo hábitos de utilizar aparelhos eletrônicos, como celular, logo antes de dormir atrapalham o estímulo do hormônio do sono. Por fim, realizar atividades físicas, passar por processos de abstinência de substâncias ou ingerir cafeína, alguns medicamentos ou drogas podem causar insônia também.

Condições de saúde também podem estar relacionados a casos de insônia. A depressão pode desregular neurotransmissores que regulam o sono. Mas há ainda outras condições médicas que interferem, alguns exemplos são: ansiedade, esquizofrenia, transtorno bipolar, stress pós-traumático, hiperatividade, transtornos neurológicos e hormonais, problemas respiratórios e dores crônicas.

Existem alguns outros sintomas além da insônia que podem ajudar na identificação do problema. A dificuldade de pegar no sono, acordar frequentemente durante a noite e/ou ter dificuldades em voltar a dormir, acordar mais cedo que o esperado, sentir-se cansado, fadigado e sonolento após uma noite longa de descanso, falta de concentração, irritabilidade, dores de cabeça e até mesmo sintomas gastrointestinais.

Hábitos que podem ajudar

Alguns hábitos podem ajudar no problema. Tentar dormir sempre no mesmo horário e ter um ambiente tranquilo e escuro para o repouso. Evitar exercícios físicos, sonecas durante o dia, aparelhos eletrônicos, consumo de cafeína, álcool e certos medicamentos logo antes de dormir.

Caso o problema persista por um longo período o ideal é procurar um médico para identificar o problema e o melhor tratamento. Apesar de tudo, insônia tem tratamento.

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn