Mesmo com o conforto dos hotéis, o aconchego do lar é o melhor lugar para se ter um sono de qualidade

 

A composição das cores dos móveis, das paredes e das luzes. Um espaço bem organizado que proporciona suavidade e bem-estar e faz com que as pessoas tenham uma noite de sono tranquila e confortável. É possível encontrar hotéis que ofereçam serviços de quarto excelentes, com colchões e travesseiros macios. Contudo, mesmo propiciando esses momentos únicos, as pessoas ainda buscam o conforto do lar.

 

Para alguns indivíduos, o fato de saber que vão dormir fora de casa já é motivo de desconforto, gerando problemas que levam à má qualidade de sono. Em situações como essas, é comum perceber que a rotina do sono muda ao acordar diversas vezes durante a noite e em casos de insônia, fazendo com que as pessoas amanheçam no dia seguinte sem energia e disposição para as atividades a serem desempenhadas. Esses sintomas são reflexos de ansiedade e desconforto físico, mental e emocional, causados pela noite mal dormida.

 

Para se ter um boa noite de sono fora de casa é preciso avaliar alguns fatores como o travesseiro que se usa e até mesmo o tamanho da cama. Além disso, a preocupação com a programação do dia seguinte, entre outras situações geram problemas na hora de dormir. Alguns pesquisadores tratam como “efeito da primeira noite”, ou seja, um lado do cérebro apresenta dificuldades em se adaptar ao ambiente novo em que está inserido, proporcionando uma má noite de sono.

 

Em 2017 foi realizada uma pesquisa na Universidade de Brown, nos EUA, que aponta que esse fenômeno pode ser uma proteção do cérebro, uma vez que as pessoas são mais vulneráveis durante o sono e como estão instaladas em ambientes diferentes, o cérebro detecta qualquer ameaça presente no local. Qualquer tipo de som ou luz, o cérebro alerta a pessoa e faz com que ela perca o sono, acordando repetidamente durante a noite. Isso tudo é causado pelo fato de estar fora de casa, ambiente que causa certa insegurança.

 

Questões comportamentais também influenciam quando se dorme fora de casa. Pessoas que se alojam em hotéis tendem a perder o sono facilmente por estarem preocupadas com situações externas. Quando se está no aconchego da casa, há mais facilidade em relaxar a mente e ter uma qualidade de sono melhor, por ser um ambiente acolhedor e com características pessoais.

 

Médicos aconselham que, se há dificuldade em dormir fora de casa, é necessário adaptar o local onde ficará, buscando formas de dormir que sejam possíveis de associar com o lar, proporcionando o bem-estar na hora do descanso. Um bom exemplo é carregar o travesseiro que a pessoa costuma usar. Ao adaptar o ambiente em que vai dormir, o rendimento e desempenho para um novo dia pode ser reestabelecido.

 

Adormecer permite que o cérebro consolide as memórias e ajude com as funções do sistema nervoso e dormir fora de casa pode significar transtornos. “Isso acontece porque nenhum lugar do mundo é considerado mais acolhedor do que nosso próprio lar, ou seja, dormir fora de casa com frequência, pode trazer problemas pois entramos em sinal de alerta. Esse estado resulta em um sono com menos qualidade, que faz com que acordamos mais cansados no dia seguinte”, afirma a psicóloga, Amanda Dias Escarante.

 

Além disso, pode significar algo estranho para o corpo e algumas pessoas ficam em estado de estresse e ansiedade assim que sabem que terão que dormir fora. Esse estado de não conseguir dormir fora de casa é chamado de Insônia Ocasional. Segundo a psicóloga Amanda, é possível amenizar esses conflitos. “Desligar as luzes e objetos eletrônicos para que não interfiram no processo do sono e evitar ingerir alimentos, principalmente cafeína e açúcar 2 ou 3 horas antes de dormir. Se tiver ar condicionado, deixar sempre em 20°, pois é a temperatura ideal. Esses são alguns pontos que podem ser trabalhados para que haja uma boa noite de sono”.

 

Lembrando que, para não perder a qualidade do sono, é importante se conhecer, prestar atenção em seu próprio corpo e seguir as dicas que consideram importantes para si. No mais, não existe lugar melhor no mundo para descansar e ter uma boa noite de sono do que a própria cama.

 

ESCRITO POR:

Juliane Machado

Jornalista, Assessora de Comunicação e Social Media

 

ENTREVISTADA:

Amanda Dias Escarante

Psicóloga Clínica

CRP 08/20391

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn